7 Dicas para manter os gastos em dia nos tempos de COVID-19

O mundo talvez esteja passando pela maior crise contemporânea. Com a globalização, a economias dos países estão cada vez mais conectados e dependentes. 

As feridas de 2008, que haviam se curado, começam a latejar novamente e o momento de incerteza sobre o que vem pela frente talvez seja ainda maior.

O que precisamos saber é que é preciso ter equilíbrio e controle neste momento. Agir por emoção e pânico, pode ser muito pior.

Siga como se manter controlado financeiramente durante uma possível recessão mundial. Lembre-se que ter seu dinheiro com liquidez é o mais importante neste momento.

  1. Comece poupando seu salário do começo.
  2. Não tenha gastos supérfluos, compre apenas o essencial.
  3. Corras dos financiamentos longos evitando dívidas muito extensas.
  4. Aquela pizza gostosa de todo final de semana pode diminuir.
  5. Lazer é essencial, mas uma volta no parque pode ser muito prazeroso e não gasta nada. Além disso você pode aproveitar e fazer um picnic, ao invés de ir ao restaurante.
  6. Pague suas contas em dia e evite cobrança de juros.
  7. Academia ficou cara? Faça exercícios ao ar livre.

Enfim, tudo que expusemos aqui nesse post tem uma só finalidade: ajudar você na luta para economizar dinheiro. Se for possível aliar as dicas que elencamos acima a fontes de renda alternativas, melhor ainda. Você ganha em estabilidade e supera mais fácil a crise!

Agora se sente mais preparado para enfrentar o momento que o país atravessa? Deixe seu comentário.

O terror das finanças – O cheque especial!

Essa palavra causa muito calafrio nos brasileiros. Todos que possuem uma conta corrente em banco (ou sua grande maioria) já deve ter se deparado com essa modalidade muito comum em bancos grandes.

Mas afinal de contas, o que é o cheque especial?

Cheque especial é uma modalidade de empréstimo pré-aprovado disponibilizado diretamente na conta do correntista. O dinheiro fica ali “disponível”, mas essa disponibilidade custa caro, bem caro para ser sincero.

Por que o cheque especial tem juros altíssimos?

Bem, toda essa praticidade que o banco te oferece vai te custar bem caro caso seja necessário você usar esse dinheiro. Isso porque, o banco te empresta dinheiro sem pedir nenhuma garantia, diferente de como acontece quando é um serviço de empréstimo pessoal.

Ou seja, todo esse risco que o banco corre por ter emprestado o dinheiro para uma pessoa que pode se tornar inadimplente, vai ter um custo, e neste caso, bem caro.

A taxas médias praticadas pelos grandes bancos no final de 2019 estava em torno de 302,5%.

O que significa que seu dinheiro na poupança precisa render mais ou menos 300 anos para bater essa taxa do cheque especial.

Sim, isso é um abuso, mas o Banco Central (BC) tomou uma medida que ajuda um pouco os correntistas, mas por outro lado, cobrará 0,25% por mês se você tiver mais que R$500,00 disponíveis no cheque especial. Os bancos desde Janeiro de 2020 irão ter um teto de 8% ao mês nos juros do cheque especial. 

Sobre a taxa de 0,25% ao mês criada pelo BC, os bancos terão que avisar com até um mês de antecedência antes de começarem a cobrar por isso, assim, você consumidor é quem fará a escolha de optar por este serviço ou não, afirma Guilherme Farid, chefe de gabinete do ProconSP.

Conclusão

O que aprendemos com tudo isso é que de forma alguma vale a pena usar esse dinheiro disponibilizado pelos bancos, a não ser em casos que não exista outra opção. Se faltar dinheiro, é melhor pedir um crédito pessoal, pois as taxas são inferiores.

Não vale a pena cair em uma bola de neve somente pela praticidade do cheque especial.

Como começar o ano bem financeiramente?

Junto com o começo do ano vem todas aquelas promessas de fazer que o ano seja melhor.

Esse é o espírito da virada de ano, mas para que você não se perca em inúmeras metas, é preciso se organizar e manter o foco.

Manter seu bolso saudável deve ser uma das suas metas para 2020. Aproveite esse espírito de ano novo, vida nova, e comece a organizar melhor sua vida financeira.

Essa mudança pode permitir você economizar mais, investir mais e ganhar mais.

  • Organize as despesas

Você precisa colocar no papel (ou planilha) todos os seus gastos fixos mensais como: água, luz, IPTU, escola, faculdade, aluguel, parcelas em aberto etc. Ao final, veja se suas despesas estão equilibradas com o quanto você ganha, caso contrário, veja onde é possível cortar gastos.

  • Poupe 10% da sua receita

Um valor justo para se poupar em uma reserva gira em torno de 10% da sua receita. Porém, quanto mais você conseguir guardar, mais rápido você chegará a sua meta financeira. 

  • Evite fazer dívidas e consumir sem necessidade

Esse aí é o grande vilão do espírito de ano novo, o consumo!

Todos sabemos que datas comemorativas e feriados são um templo para se gastar, seja com viagens ou lojas. O plano é primeiro evitar de ir em locais que sugestione o gasto, como shoppings centers.
Sempre procure comprar apenas o necessário, por mais que seja difícil não levar aquela peça de roupa que está com 30% de desconto.

Se quiser ir para apenas dar uma volta, tire os cartões da bolsa e lembre se, fuja dos cheques especiais, pois os juros são exorbitantes.

O que fazer com a taxa Selic a 4,5%?

Em mais uma reunião do Copom, ontem (11) O Banco Central decidiu cortar a taxa Selic (taxa básica de juros) em 0,5 ponto percentual. Com isso a Selic agora está em 4,5% ao ano, menor taxa da história.

É importante você saber que essa taxa serve de referência para outras taxas praticadas no mercado financeiro.

Agora você pergunta: “Tá, como essa taxa influência minha vida?”

Pois bem, esses cortes na Selic que o BC vem fazendo estimulam o consumo, com isso as pessoas compram mais, e compram a prazo. Quando a Selic está alta, estimula as pessoas a reservarem seu dinheiro, diminuindo o consumo.

Em tese, os bancos acompanham essa diminuição quando você vai pedir um crédito.  

Outro ponto que a diminuição da Selic afeta nossas vidas é nos investimentos. Como citado antes, a taxa Selic serve de referência para investimentos em Renda Fixa, como o Tesouro Direto por exemplo.  Mas o que mais afeta é a aplicação financeira mais popular do país, a poupança, que agora está dando prejuízo com esse novo anúncio do BC. Ou seja, a rentabilidade da poupança está perdendo para a inflação, e assim você perde dinheiro deixando-o “rendendo” na poupança.

E o que fazer?

Para especialistas do mercado financeiro, essa nova taxa veio para ficar um bom tempo. O cenário antigo com juros altos e garantidos como era antigamente já foi, e agora será preciso assumir mais risco para ter uma rentabilidade maior. Isso não quer dizer que você precisa tirar todo seu dinheiro e correr para a Bolsa de Valores, de jeito algum.

Para as pessoas mais conservadoras a dica é procurar títulos do Tesouro Direto, assim você terá uma rentabilidade um pouco maior, mas nada expressivo, pelo menos você não perderá dinheiro com a inflação. Essa é uma ótima opção para deixar a reserva de emergência.

Outras opções são buscar investimentos em CDB, LCI e LCA. Mas fique muito atento as taxas cobradas pelas instituições financeiras, as vezes a taxa acaba comendo todo o rendimento do seu investimento. Não caia no papo do gerente do seu banco, sempre pesquise antes.

Conclusão:

Agora não terá mais a comodidade de deixar seu dinheiro na poupança, será preciso mais esforço e conhecimento para conseguir uma rentabilidade boa no mercado, o que por um lado é muito bom, quanto mais conhecimento em tipos de investimento, mais você consegue rentabilizar seu dinheiro comparado a poupança. Mas lembre-se, existem investimentos em Renda Fixa e Renda variável, e você precisa primeiro conhecer o seu perfil de investidor.

Mesmo na Renda Fixa, você pode perder dinheiro se não cumprir o prazo de resgate do seu título, caso seja indexado ao IPCA ou Pré-fixado.

O que fazer com o 13º salário?

Final do ano chegou e com ele vem o 13º salário, aquele dinheirinho tão esperando.
Esse salário é um direito de todo trabalhador brasileiro que está trabalhando sob o regime CLT. Mas com essa “bonificação extra” sempre vem a dúvida do que fazer com esse dinheiro.
Separamos alguns pontos para ficar mais claro para você saber como usar bem seu 13º salário.

  1. Negocie e quite suas dívidas.

Pois é, essa é uma mega dica de 99,99% dos economistas. A ideia é usar esse dinheiro para limpar seu nome na praça.

Comece listando todas as suas dívidas em aberto, vejas as que possuem juros mais altos, normalmente são cartão de crédito e cheque especial. 

Por mais que seja difícil usar esse dinheiro para quitar dívidas, é a coisa mais importante a se fazer quando se mora em um país com juros altíssimos. Neste caso é melhor quitar as pendências do que ter que lhe dar com juros e ter o nome em órgãos de proteção ao crédito.
Lembre-se, assessorias financeiras estão sempre dispostas a negociar dívidas.

2. Contas de começo de ano.

Ano novo, vida nova.

Sim, mas com o ano novo vem todas aquelas contas de começo de ano também. Janeiro começa com bastante contas extras como IPVA, IPTU e se você possui filho você sabe muito bem que material escolar é um gasto bem grande no orçamento.

Tente reservar uma parte desse dinheiro para esses gastos, quem sabe até pagar à vista, assim você consegue desconto e seu orçamento fica mais folgado o resto do ano.

3. Planeje seus gastos anuais.
Planejamento Financeiro! Essa é a palavra!
Sabemos o quanto é difícil se planejar, seja financeiramente ou simplesmente um planejamento de uma festa em família rs.

O brasileiro não tem costume de se planejar, menos ainda quando o assunto é dinheiro. Então por que não aproveitar o espírito de ano novo e começar uma vida nova se planejamento melhor?

Liste todos os seus gastos sazonais como por exemplo: IPVA e IPTU. Pense também nos seus gastos pontuais como: Aluguel (caso tenha), contas de energia, água, gás, internet entre outros.
Ponha tudo em uma planilha divido por mês e veja o quanto você precisa ter e economizar para ter um ano mais aliviado. Criando um planejamento financeiro você otimiza muito mais seus gastos. 

O grande erro das pessoas sobre “caducar” uma dívida.

“Mas meu nome não está mais no SERASA, por que estão me cobrando?”

Esse é o grande erro de algumas pessoas, acharem que sua dívida foi extinta por ter se passado cinco anos e ter saído dos órgãos de proteção ao crédito. Realmente, seu nome ficará limpo, mas…iremos contar abaixo o que acontece nesses casos.

“A prescrição se aplica juridicamente ao direito de acionar na justiça do fornecedor face ao consumidor conforme o art. 43 parágrafo 5º do Código de Defesa do Consumidor – CDC”.

As dívidas jamais se extinguem, em nenhum momento. O fornecedor mesmo após cinco anos pode continuar a cobrar, mas amigavelmente, e por isso é um erro as pessoas acharem que se a dívida foi a mais de cinco anos, ela caducará e sumirá do mapa.

A prescrição não é extinção de uma dívida, mas um prazo para que o fornecedor ajuíze ação de cobrança contra o consumidor. E se você é daquelas pessoas que acham que nunca mais te ligarão, errou meu caro. Na verdade, a empresa pode te cobrar até quando ela quiser, só parará quando ela realmente desistir da cobrança.

Consequentemente, os juros continuam correndo e mesmo com seu nome limpo, ele ficará marcado e sempre dificultará ou impedirá você de conseguir um crédito no mercado, afinal, você pode não ser um bom pagador.

Seu histórico financeiro é medido pelo “Score”, uma pontuação calculada pelas casas de crédito que mede o grau de inadimplência do consumidor.

É uma pontuação que vai de zero a mil, quanto maior, mais pontual é a pessoa em seus pagamentos. Qualquer empresa ou banco pode solicitar esses dados para definir se vai ou não fazer um empréstimo a alguém.

Então que fique claro para todos que possuem um débito, se o fornecedor não entrou com ação antes dos cinco anos, o que ele pode fazer depois que acaba o prazo de prescrição é continuar cobrando pelas vias extrajudiciais, ou seja, recursos como cartas, ligações ou propostas de renegociação, desde que não sejam feitos de maneira abusiva continuarão sendo feitas até o pagamento total do débito.

Conclusão:

Realmente depois de cinco anos seu nome sairá dos órgãos de proteção ao crédito, mas a dívida sempre existiu e sempre existirá, não importa se passaram dez anos, o fornecedor pode cobrar até quando ele quiser, desde que não seja abusiva.
Nossa dica é, se você se enquadra na pessoa acima, indicamos você entrar em contato com a empresa que você possui o débito e renegociar. É sempre a melhor opção, e na maioria das vezes você acaba conseguindo um preço bem legal.

O quão confiável é renegociar uma dívida online?

Com certeza você já deve ter lido e escutado sobre sites que renegociam dívidas online.
Existem inúmeros sites hoje em dia que facilitam a maneira como as pessoas buscam uma dívida e fazem um acordo online. Foi pensando nesses sites que nosso post de hoje foi feito. Agora vamos checar o que é preciso para você fazer um acordo sem se preocupar.

São verdadeiros esses sites que renegociação dívidas?

Essa é a dúvida de muitas pessoas que possuem um débito. Afinal uma pesquisa feita pelo Serasa mostra que 48% das pessoas com dívidas ativas no Brasil preferem quitar seus débitos através de canais digitais. Então é comum aparecer esse tipo de questionamento quando pensamos em acordo online.

Mas saiba que contando com uma empresa reconhecida no mercado, sua negociação será 100% segura.

O que acontece é que a empresa que é a “dona” da dívida compartilha as informações com suas assessorias. A partir dai as empresas credenciadas começam as cobranças.

Qual a vantagem de renegociar online?

Bem, primeiro é que você pode planejar melhor suas finanças, inclusive fazer simulações de pagamento.  Segundo, é que você consegue fazer tudo em apenas um lugar, não sendo preciso buscar informações em outros parceiros do seu credor.

Terceiro, as consultas de CPF são gratuitas e você pode checar a qualquer momento.

A maior vantagem de fazer um acordo online é a comodidade e a autonomia, além dos descontos que são oferecidos pelas plataformas online.
Aqui na ATMA nós oferecemos até 80% de desconto em renegociações. Então hoje em dia é muito mais prático e barato ficar com o nome limpo.

Não sei se tenho uma dívida. O que eu faço? Como me organizo?

Bem, se você tem não sabe se tem uma dívida, saiba que é completamente normal. Nós aqui na ATMA vemos esse caso direto. As vezes ligamos para uma pessoa para informar sobre uma proposta de acordo e essa pessoa não faz ideia de que havia uma dívida em seu nome.
Bem, primeiramente nós aqui na ATMA informamos o cliente sobre todos os débitos que têm em seu nome. Em seguida pedimos para o cliente se informar no Serasa, caso não saiba que sobre a dívida.

Mas se por acaso você sabe que possuí uma dívida e agora está em busca de como quitar esse débito, Tcharannnn. Esse post é para você.

Bom, saiba que hoje em dia é muito simples fazer um acordo com seu credor. Hoje tem opções de fazer um acordo sem sair de casa e sem telefonema, você pode simplesmente entrar em algum site e renegociar sua dívida. Mas o mais importante é você se organizar financeiramente para não ter esse problema de novo. Reveja seu orçamento mensal e veja a melhor maneira de fazer um acordo. Não faça loucuras que você pode acabar criando outra dívida.
Uma boa estratégia é você baixar um desses apps de organização financeira, ou até mesmo criar uma planilha em Excel com seus gastos mensais, assim você pode personalizar da sua maneira.

Bem, esse é o primeiro passo para começar a pensar em quitar seus débitos. Lembre-se, organize suas finanças primeiro e depois simule as melhores opções para você negociar com seu credor. À vista, sempre sai muito mais em conta.

Quem faz o coração da ATMA bater.

Nas redes sociais da ATMA iremos começar a campanha Meet Our Team. Então de agora em diante vamos apresentar a vocês os #atworkers que fazem o coração da ATMA bater. Cada pessoa aqui é diferente da outra em vários aspectos, e por sermos diferentes e termos ideias diferentes é que nós nos completamos para seguir com o nosso propósito maior:

Entregar com verdade e prazer soluções para as pessoas seguirem sua vida livre de dívidas.

O DNA ATMA corre nessas cabeças super pensantes.
O DNA ATMA é feito dessas pessoas super amantes do que fazem.

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora